sexta-feira, 28 de setembro de 2012

(Resenha) Os Livros de Esteros - As Crônicas de Fedors - Aldemir Alves



Sinopse: Foram cem anos de paz, até que um erro; destruiu um século de abstinência. Seria incorreto esconder de seus filhos, que vivemos em um mundo desumano? - Mussafar cometeu tal erro, e pagou caro por ele! - Até quando, alguém que amamos pode ignorar os nossos sentimentos? - Essa poderia ser a pergunta de Vamcast ao seu pai, mas ele nunca a fez. Talvez o garoto fosse tímido, ou talvez temesse uma reprima que poderia marca-lo ainda mais... - O seu irmão “Andor” era sim o predileto, mas a sua inocência saberia diferenciar a afetividade de seu pai por si? - Com certeza, Não... Nasce um universo, e também um mal. A humanidade surge em paz e o criador cuida muito bem das suas "criaturas". Fatalmente o mundo precisou ser destruído, uma nova nação renasce dando origem aos seres mortais. Os mortais são um legado dado aos deuses, para que seja cultivado e viva em paz. A história começa após a discórdia que deu origem ao Big-Bang. Vamcast, um elfo de origens brancas, se mostra um rapaz tentado ao poder, e atrai o mal para a sua vida se tornando um demônio assassino. Seu irmão caçula se torna a única esperança do mundo. Ele terá que matar o seu próprio irmão em combate, e só assim libertar o seu mundo fadado à destruição.


Resenha: 

Para ler este livro eu passei por uma verdadeira saga.
A primeira vez que me deparei com "Os Livros de Esteros" foi no ano passado, em dezembro.
Estava visitando um blog e encontrei uma resenha para o livro.
Confesso que não gostei da resenha. Não sei porque, mas senti um certo "preconceito" por parte do resenhista, já que o mesmo também escreve livros de fantasia.

Esse é um dos problemas que acomete alguns autores. A mania de superioridade. O que escrevo é o máximo, o que os outros escrevem, nem tanto.

Após a resenha fiquei louca pra ler e foi aí então que a saga começou.
Tentei comprar o livro em março, mas ele não estava mais disponível no Clube de Autores. Cheguei até a pensar que o autor havia desistido do livro.
Comecei a procurar por alguma informação: E-mail, página no Facebook, blog. Por sorte encontrei o blog do autor e ao visitá-lo descobri que o livro continuava bem vivo, apenas trocou de editora e em breve seria publicado.

Fiquei na espera, mas a publicação que seria para o mês de junho foi adiado. Voltei a espera.
Chegou o mês de setembro e finalmente o livro saiu. Mas aí o que acontece... Os correios entram em greve.

Mas eu tenho fé e paciência e então na última sexta, ele chegou as minhas mãos.
E agora você deve estar se perguntando... Valeu a pena toda essa espera? E eu respondo... Sim e MUITO!

Eu gosto de tudo que é estranho, diferente e louco (No bom sentido) e com "Os Livros de Esteros" consegui os três itens.

O autor soube misturar mitologia pagã, anjos, elfos, orcs, anões, big-bang e criaturas vindas de sua própria imaginação. Parece loucura, mas no final tudo faz sentido.

O livro começa contando sobre a mitologia Esteriana e sobre a origem de 12 pedras espirituais forjadas pelo anjo Lucyer, um pouco antes da destruição do paraíso.
Após uma guerra entre deuses e demônios, seis das doze pedras são lançadas aos novos planetas que surgiram após um big-bang.

 As pedras podem ser usadas para o bem ou o mal, depende da índole do proprietário.
Após passarmos pela parte mitológica conhecemos um homem de aparência estranha chamado Fedors. O homem está literalmente podre, tanto que é confundido com um cadáver por um viajante chamado Salazar.

Assustado com a aparência do estranho, Salazar se interessa pela criatura e em especial quando Fedors decidi contar sua história
Fedors (Que não é seu nome verdadeiro) era membro da Família Destrus. Uma família com um passado interessante.
Os Destrus (Uma família elfica) é comandada pelo rei Mussafar, que é casado com Zinza. Eles têm dois filhos, Vamcast e Andor.

Vamcast é o filho mais velho e a ovelha negra da família. O jovem senti ciúmes da atenção que os pais dão ao caçula e também tem sede por poder.
Ele não se conforma em aprender apenas magia para curar e se defender. Ele quer aprender a dominar magia negra.
Por ter a parência de um elfo branco. Vamcast também é proibido de usar armas. Mas contrariando as regras, ele treina escondido dos pais.

Se Vamcast é o diabo em pessoa, Andor, o irmão caçula é obediente, carinhoso e comportado.
Só para vocês terem uma ideia... Se Voldemort e Harry fossem irmãos seriam como Vamcast e Andor.

Como todo o garoto do mau, Vamcast precisa de um mestre e é aí que entra Destructor (Conselheiro do rei), um homem ambicioso, que está louco pelo trono.
Destructor é uma espécie de Lord Sith à procura de um aprendiz. Ele começa a minar a cabeça do princípe com ideias de grandeza e como ele está louco para ir para o lado sombrio da força, Vamcast abre os braços e se joga! (Tá não resisti, tinha que fazer uma piadinha).

Tem mais coisas para contar, mas aí seria Spoiler e acabaria com a farra.

Normalmente não faço isso em resenhas, mas com esse livro decidi abrir uma exceção.
Não considero como um ponto negativo, gostei pra caramba, mas não custa nada falar.
O livro não tem muitos diálogos e talvez não agrade. Mas não deixem esse detalhe atrapalhar. Eu recomendo o livro e muito.

Se você está procurando um livro de literatura fantástica com sua própria identidade "Os Livros de Esteros" é uma boa pedida.


6 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Uau! Ótima resenha, Catalina!

    Acho que todo autor quando publica uma obra e compartilha as suas ideias com outros leitores, tem medo que o leitor não compreenda a trama e não aproveite a história. Mas vejo que você entendeu e usufruiu muito bem da história, fico muito feliz!

    A sua visão sobre poucos diálogos foi realmente importante pra mim, já que foi a primeira leitora(o) a comentar sobre isso... Como o meu livro é pequeno, 200 páginas eu precisava contrariar aquele comentário: "livros com menos de 200 páginas pra mim não tem história para contar"! - Por isso optei por uma narrativa em terceira pessoa mais intensa, eu precisava criar um vilão de forma convincente, acho que consegui, ufa! ( Os outros livros da saga abusam de diálogos).

    Até o comentário sobre Ego de outros autores eu concordo! Eu sou igual a você, sempre procuro e compro os livros nacionais, não me preocupo com as limitações dos autores e sim com a história. Se ela foi boa, me interessou, se me deu prazer, valeu muito a pena!

    Catalina fiquei muito feliz por você ter acreditado em Esteros! A minha história com você é longa igual ao meu comentário(BEM GRANDE),rs, mas no final deu certo e a obra chegou em suas mãos ^^

    Abçs, desejo-lhe muito sucesso com o seu livro!

    ResponderExcluir
  3. Gostei da resenha.

    Esteros é um livro muito bom tem muito conteúdo, sou outro leitor que precisei esperar muito para lê e gostei demais do livro. Agora é esperar pelo outro e continuar acompanhando a estoria do vamcast...

    amei o blog to seguindo!

    ResponderExcluir
  4. Eu li e gostei muito! Vale a pena a leitura! Tirando os erros gramaticais, porque a revisão não foi boa por parte da editora, o livro é ótimo e recomendo!!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Opa! Gostei da resenha e quero lê-lo assim que terminar o monte de livros que tenho. Pela sua resenha a coisa é boa e mesmo com fala ou gesto quero ler.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Livros de magia são o máximo, principalmente quando um dos protagonista acaba odiando o outro :)

    galera quem nao leu, tem aqui: http://portugues.free-ebooks.net/ebook/As-Cronicas-de-Fedors

    boas leituras! :)

    ResponderExcluir